A banda WITCHCRAFT, de Magnus Pelander, existe na vanguarda do rock clássico oculto desde a sua formação no ano de 2000, quando Magnus decidiu formar a banda para que pudesse gravar uma homenagem aos seus ídolos Roky Erickson e Bobby Liebling do Pentagram. A banda nunca escondeu suas inspirações, mas passou a criar inúmeros clássicos dentro do gênero. A ilustre carreira da banda, desde a estréia auto-intitulada em 2004 até o álbum Legend de 2012 até o maravilhoso Nucleus em 2016, tornaram-se clássicos cult e levaram a banda a novos níveis de reverência em sua cena.

Agora, o WITCHCRAFT se direciona a um novo caminho corajoso, estabelecendo-se em um território totalmente novo. Exibindo a emoção pura que sempre viveu no centro do trabalho da banda, avançando sozinho: o primeiro álbum da banda em quatro anos, intitulado “Black Metal”, é um material totalmente acústico. Desde a abertura e o primeiro single, “Elegantly Expressed Depression”, está claro que essa nova faceta do som da banda permite que a crueza e a fragilidade brilhem sob uma luz totalmente nova. O minimalismo de Bill Callaghan, a ternura de Elliot Smith e o ar de ligeiro desconforto que só poderia ser o Witchcraft se combinam para tornar esse disco um espetáculo verdadeiramente único.

O álbum “Black Meta”l estará disponível em CD, vinil e em formatos digitais em 1º de maio de 2020 via Nuclear Blast.

Capa e faixas de “Black Metal”:

1.Elegantly Expressed Depression05:29 
2.A Boy and a Girl01:57 
3.Sad People05:42 
4.Grow07:51 
5.Free Country03:57 
6.Sad Dog04:21 
7.Take Him Away03:42
Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano esperando a volta segura de shows, fã de uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.