Lançado dia 12 deste mês é o mais “novo” registro de estúdio de uma das bandas mais subestimadas do metal.

Oriunda do Quebec e com dezenas trabalhos lançados entre discos de estúdio, EP’s, DVD’s, discos ao vivo e coletâneas, os canadenses do Voivod mereciam muito mais destaque no cenário internacional de música pesada.

Como se não bastasse todo esse tempo de estrada, o Voivod foi influência de diversas bandas de peso como Sepultura, Fear Factory e Soundgarden. São o típico exemplo de uma banda fora da curva que sempre se reinventou.

E seu mais novo registro mostra que banda ainda tem alguns “ases” escondidos nas mangas.

O disco é composto de apenas 3 faixas, sendo duas ao vivo (a faixa título do álbum e a clássica “The Unknow Knows” do disco “Nothingface” disco de maior sucesso da banda até hoje) ambas gravadas durante o Monstreal Jazz Fest no ano passado.

A faixa de estúdio tem o sugestivo nome “The End of Domacy – Metal Section”. Logo de cara a banda nos surpreende com uma introdução de metais, trompetes, saxofones e trombones que nos remete àquelas grandes orquestras de jazz e até mesmo trabalhos de artistas como Brian Setzer e Ray Conniff.

Após ela a banda numa levada bem calcada no stoner, estilo que tem marcado bastante presença em seus últimos trabalhos, sombria e arrastada e após um breve pausa o tom sobe e a levada ganha mais energia até entrar num trecho mais progressivo onde a sessão de metais volta a predominar.

O clima tenso gerado pela música lembra muito as trilhas de filmes de filmes de suspense e ação da década de 80/90, como 007 ou séries de ficção como Star Trek. Esse clima é reforçado pelo clip de divulgação do álbum que mostra a banda se apresentando no palco, enquanto uma subtrama mostra os cientistas desenvolvendo uma mistura química.

Apesar dessa mistura de metais e metal (sacou o trocadilho?) as vezes dar errado (Chamaleon mandou abraço) aqui a banda acertou em cheio na proposta.