O vinil estava a caminho de vender mais que os compact discs (CDs) em 2019, mas não conseguiu. Agora, em 2020, finalmente aconteceu. Pela primeira vez desde 1986, o vinil superou os CDs. De acordo com a Bloomberg, os fãs de música nos Estados Unidos gastaram um total de $232,1 milhões em vinil no primeiro semestre de 2019, enquanto os CDs renderam apenas $ 129,9 milhões. O que não é muito surpreendente, dado o dilúvio de lançamentos e reedições de vinil nos últimos anos.

As vendas de vinil aumentaram a cada ano desde 2005, quando atingiram o valor mínimo de US$ 14,2 milhões em vendas no ano. Com maior fidelidade, melhor som e capa maior, o vinil se tornou o formato preferido para colecionadores.

Segundo os dados, as vendas de CDs caíram 48% este ano, com um grande motivo sendo o coronavírus. Mesmo com a recuperação do vinil, a mídia física ainda é uma parte muito pequena do bolo geral. O streaming representa 85% de toda a receita de música no primeiro semestre de 2020.

A Consequence of Sound também publicou um relatório sobre qual foi o vinil mais vendido da última década, o que não é exatamente surpreendente. Veja a lista:

  1. The Beatles – Abbey Road (558,000)
  2. Pink Floyd – Dark Side of the Moon (376,00)
  3. Guardians of the Galaxy Awesome Mix Vol. 1 (367,000)
  4. Bob Marley & The Wailers – Legend (364,000)
  5. Amy Winehouse – Back to Black (351,000)
  6. Michael Jackson – Thriller (334,000)
  7. The Beatles – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (313,000)
  8. Fleetwood Mac – Rumors (304,000)
  9. Miles Davis – Kind of Blue (286,000)
  10. Lana Del Rey – Born To Die (283,000)
Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano esperando a volta segura de shows, fã de uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.