Que a Suécia é uma verdadeira fábrica de bandas de metal de altíssimo nível, isso ninguém pode negar.

Desde de o inicio dos anos 2000 a chamada “New Wave of Swedish Sleaze/Glam Metal” a nação nos presenteou com bandas fantásticas como Crashdiet, Backyard Babies, Pretty Wild entre outras.

Ao contrários das bandas mencionadas o quarteto de Växjö é formado exclusivamente por mulheres e fazem um hard/heavy com fortes influências de AC/DC, Motorhead e Aerosmith.

O disco como um todo traz muita energia e qualidade, não tem aquela pegada “Spice Girls” de bandas como Vanilla Ninja, mas também não tem o peso de um Crucified Barbara, mas não decepciona e mantém um bom equilíbrio assim como nos discos anteriores.

O som groovado com espírito anos 70 e pitadas de blues é uma mistura que sempre funciona muito bem dentro do hard rock, porém essa mistura acaba por limitar demais o estilo, e infelizmente, é o temos aqui.

O disco não é ruim, mas não empolga tanto como o seus anteriores em especial os ótimos “Rock n Roll Disaster” e “Road Fever”.