The Anger: Fábio Moysés, Rafael Orsi e Aivan Moura

Lançado neste Domingo, dia 28, o mais novo disco do duo e agora power trio, The Anger, mantém a diversidade sonora de seu predecersor, o excelente “Through Love, Anger, Pain and Sorrow” e mostra ainda mais personalidade e paixão pelo Rock N Roll.

Apostando em uma sonoridade com boas doses de rock, heavy, hard, e southern, “Tales From the City” é uma delícia de se ouvir do início ao fim e mostra uma banda muito bem entrosada. Originalmente The Anger era um duo formado por Rafael Orsi (Vocal, guitarra e baixo) e o baterista Fábio Moysés. Agora a banda conta também com Aivan Moura, que além de responsável pelos teclados, divide as linhas de voz com Rafael.

O material é composto de dez faixas, sendo que três delas “The Ghost”, “Vote for Me” e “I Walk Alone” já haviam sido lançadas previamente em formato single.

A bluezera “Mr. Nobody” que abre o disco de forma hipnotizante convidando o ouvinte a entrar no clima sedutor que o estilo possui. “The Ghost” começa num canto em capela belíssmo e logo trás uma ótima batida mais southern, ao passo que “Kick All The Asses” e seu hard rock já começa a esquentar o clima para o que vem à seguir.

Nas faixas seguintes temos duas participações especiais: Simone Santos em “Silence is Shame” e Yuri Simões (Aeon Prime) em “Fire Burns Tonight”, ambas numa pegada hard n heavy mais acelerada.

“I Walk Alone” é uma verdadeira obra prima. Ela começa de forma bem suave e vai subindo o tom num crescendo fantástico que explode em um refrão daqueles que gruda na cabeça de imediato. A melhor do disco disparada.

“Take Me Back” é outra faixa sensacional e mostra que a adição de Aivan à banda foi certeira. Ela tem uma levada suave e as linhas vocais lembram um pouco o Dr. Sin, mas é apenas pela questão do timbre de Aivan que lembra muito o do Andria Busic.

“Vote for Me” escancara toda a hipocrisia dos políticos em geral, que apenas prometem e nada cumprem. Uma metida de dedo na ferida mais do que bem vinda na atual crise que nosso país vive. “Unstoppable Power of Nature” é outra pedrada onde temos um belíssimo dueto com Rafael e Aidan se revezando nos vocais.

“Losing my Beliefs” começa num tom mais melancólico e cresce de forma épica, passando por um solo de guitarra lindissimo de Rafael até finalizar novamente de forma suave, encerrando o disco de forma espetacular.

É um baita disco sem dúvida e que merece a atenção de todos que curtem um bom e velho Rock, sem rótulos, sem frescuras e sem fronteiras