Vindo das terras do Tio San, o power trio de Portland, é mais uma prova da incrível capacidade dos nossos vizinhos do Norte tem de produzir e revelar bandas de rock de extrema qualidade, seja ela técnica ou sonora.

Lançado em 2018 o quarto disco do trio traz um som que mistura o peso do heavy metal clássico com levadas de rock progressivo, pitadas de jazz e world music. O disco foi gravado por Bruno Neves (vocal), Joe Martignetti (guitarra), David Joy (baixo) e Ted Macinnes (bateria), traz um som visceral e muito cativante.

Mas não espere encontrar muitas similaridades com nomes como Dream Theater ou Symphony X, pois a banda aposta muito mais numa diversidade sonora em suas composições, do que mero exibicionismo de técnica.

Claro que existe sim muita técnica em suas composições, que ficam evidentes em faixas longas e épicas como “Prophecy of the Red Skies” e “Stalking Wolf”, mas tem musicas diretas e sem firulas como “The Scout” e “Inner Vison”, a instumental “Arrive, Awake, Survive and Thrive” e a baladinha (de oito minutos) “Palaver” com um refrão grudento que lembra demais bandas como Kansas, Journey e Europe.

Mas sem dúvida uma das partes mais espetaculares são os vocais do nosso compatriota Bruno Neves, que são um show a parte e dão ainda mais peso e agressividade ao som da banda.

Mesmo com toda essa colcha de retalhos de elementos, o disco soa de forma muito fluida e coesa, sendo muito agradável desde o início. Outro dado interessante é que a banda já esteve por aqui em Agosto de 2016 onde fez diversos shows e foi muito bem recebida pelo público brazuca.