Spirit Adrift: Nate Garret e Marcus Bryant

Após o imenso sucesso de “Divided by Darkness” o anúncio precoce de um novo material, fez alguns questionarem se não se tratava apenas de um tentativa de aproveitar o hype causado e lançar um material meia boca, buscando receber uma avalição menos criteriosas. Porém o que encontramos em “Enlightened in Eternity” é uma baita disco de heavy metal.

O novo disco do projeto solo/banda/duo do multi-instrumentista Nate Garrett , traz além de elementos clássicos do heavy metal, mostra algumas facetas de progressivo, bem diferente da linha mais doom/dark que a banda traszia em seus primórdios.

Assim como no trabalho anterior, “Enlightened in Eternity” é uma prova da evolução pessoal da mente criativa de Nate, que começou a se arriscar mais em suas composições, trazendo composições mais sofisticadas, riffs mais pesados e solos mais técnicos e elaborados. Além disso, a performance sólida do baterista Marcus Bryant e suas variações rítmicas deram a base perfeita para as composições.

É possível perceber diversas influências hard rock, stoner e bandas como Rainbon, Deep Purple e Cathedral ao longo das faixas do disco. A linha de baixo na abertura de “Cosmic Conquest” resgata um lado mais rock’n’roll clássico, e “Screaming From Beyond” é uma aula de como escrever riffs sem quebrar andamentos nem sacrificar a levada, enquanto que “Battle High” tem uma levada cadenciada, como uma marcha e um refrão grandioso.

Outras faixas que merecem destaque são “Harmony of the Spheres” e “Stronger than Your Pain”, que têm uma levada mais acelerada que as demais e soam mais power metal que resto do material, mas mantém a mesma coerência estrutural das demais, ou seja, tudo encaixadinho em seu lugar sem sobras nem excessos.

Em suma, “Enlightened in Eternity” é um disco clássico de heavy metal, desde sua capa até as composições, porém traz elementos variados e de muito bom gosto que vão agradar em cheio as fãs do estilo.