Six Feet Under: Jack Owen, Marco Pitruzzella, Chris Barnes, Ray Suhy e Jeff Hughell

Quando o vocalista Chris Barnes saiu do Cannibal Corpse em meados de 1995, muitos fãs acreditavam que seu novo projeto não teria muito futuro. Hoje mais de 20 anos depois, o Six Feet Under não apenas provou seu valor como se tornou um dos maiores nomes do death metal mundial e seu mais novo disco o ótimo “Nightmares of the Decomaposed”.

O 13º disco de estúdio do SFU além de consolidar uma carreira, de mais de duas décadas de forma honesta e com poucos altos e baixos, é o primeiro material em que Chris Barnes e Jack Owen voltaram a trabalhar juntos. Além disso temos as entradas do excelente guitarrista Ray Suhy e do baixista Jeff Hughell.

Com um timaço de peso como esse já era de se esperar que o novo material viesse caprichado. Músicas pesadas, agressivas com ótimas alternâncias entre velocidade e cadência e os vocais cavernosos de Barnes (além dos gritinhos de porco esganiçado de vez em quando).

Logo na abertura do álbum “Amoputador” traz uma pancadaria em alta velocidade, algo inédito na discografia da banda que sempre teve uma sonoridade mais groovada e cadenciada. Essa característica retorna nas faixas seguintes “Zodiac” e “The Rotting” onde as bases simples e a bateria ditam o andamento. Destaque para o ótimo solo em “The Rotten”.

“Death Will Follow” e “Drink Blood Get High” trazem uma pegada Death N Roll muito parecida com o que o Carcass fez no álbum “Swansong”, enquanto “Dead Girls Don’t Scream” traz um refrão que gruda na cabeça logo de cara.

Com uma produção impecável, uma banda competente e composições excelentes fazem de “Nightmare of the Decomposed” um dos melhores discos da discografia da banda e com certeza vai agradar demais aos fãs, principalmente aqueles que acompanham Chris e Jack desde os primórdios do Cannibal Corpse.