O guitarrista Andreas Kisser concedeu uma entrevista à jornalista Adriana de Barros, do Uol, para falar sobre o novo álbum do Sepultura, “Quadra”. O disco chegou a público na última sexta-feira (7), com lançamento no Brasil por meio da BMG.

Durante o bate-papo, Andreas Kisser revelou a emoção que sentiu ao ouvir “Quadra” finalizado pela primeira vez. “Chorei quando ouvi a master. Foi muito satisfatório”, afirmou.

O músico, então, destacou que o ambiente saudável em torno do Sepultura fez com que o resultado obtido em “Quadra” superasse as expectativas. “E isso tenho que agradecer a nossas famílias e aos nossos empresários. Não ter telenovelas e problemas dentro da banda ajuda a gente só focar na música”, disse.

sepultura

Ainda na conversa, Kisser comentou a respeito do clima dentro do Sepultura, que conta com Paulo Jr. no baixo desde os primórdios, Derrick Green no vocal desde 1997 e Eloy Casagrande na bateria desde 2011. “Eu e o Paulo estamos há 33 anos juntos. Sempre tivemos muito respeito um com o outro. Pra fazer o que a gente faz precisamos ter amor mesmo. Me sinto privilegiado de ter uma banda como o Sepultura e ter a história que a gente tem”, disse, inicialmente.

Ele completou: “É a pior coisa do mundo ir para a estrada para brigar. Já passei por isso. Agora a gente se curte, conversa, vai jantar juntos, temos batalha de ipod. Estamos em um momento muito positivo, não só no palco, como fora dele também. Levamos todo esse tempo para tomar nossos tombos e chegar no momento que estamos”.

Leia a entrevista, na íntegra, no Uol.

Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano esperando a volta segura de shows, fã de uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.