Mais uma playlist no ano que não aconteceu, dos lançamentos mais relevantes até 22 de novembro. Temos um destaque óbvio desta vez, e muito trabalho interessantíssimo! Ah, e tem Hard Rock aos 50 minutos do segundo tempo também!

E como vale sempre lembrar, a ideia dessa lista é ter alguns lançamentos destacados e vários outros com link no fim do post, pra você que gosta de garimpar. A gente tenta ser abrangente aqui, com discos ao vivo, compilações e absolutamente qualquer lançamento relevante para a cena.

Se você conhece alguma banda que não teve o lançamento citado por aqui, conta pra gente nas nossas redes sociais, nos comentários ou mande um e-mail pra nós! Agradecemos a contribuição desde já!

Eu espero que você já tenha conferido o que foi lançado nas últimas semanas:

Lançamentos Semana #46

Lançamentos Semana #45

Lançamentos Semana #44


Dark Tranquillity – “Moment”

Gênero: Melodic Death Metal
País: 
Suécia
Selo:
Century Media Records

Clique e ouça “Moment” no Spotify.

Após quatro anos, o Dark Tranquility volta renovado com dois novos guitarristas, Johan Reinholdz (Andromeda) e Christopher Amott (ex-Arch Enemy). Este novo trabalho prova que a dupla se encaixou muito bem na sonoridade da banda, resultando em um álbum bem legal e que não se difere muito de seu antecessor, Atoma, soando como uma continuação.


Iron Maiden – “Nights Of The Dead, Legacy Of The Beast: Live In Mexico City

Gênero: Heavy Metal
País: 
Inglaterra
Selo:
BMG

Clique e ouça “Nights Of The Dead, Legacy Of The Beast: Live In Mexico City” no Spotify.

Já tinha lido a expressão Maiden é Maiden hoje? Bom, agora tenho certeza que sim! Gravado no México em 2019, nos velhos tempos em que se podia assistir shows presencialmente se preocupando apenas com a quantidade de cerveja no copo, a banda mostra 16 de seus clássicos em uma noite especial para qualquer mexicano fã da banda. O único erro, e gravíssimo, inclusive, é este material não ter sido lançado em DVD, e por conta disso, não foi lançado um vídeo oficial ao vivo sequer relacionado à ele. Uma pena…


Jinjer – “Alive In Melbourne

Gênero: Metalcore
País: 
Ucrânia
Selo:
Napalm Records

Clique e ouça “Alive In Melbourne” no Spotify.

Mais uma banda que eu sou completamente suspeito pra opinar, o Jinjer, lançou o seu álbum ao vivo gravado em Melbourne, Austrália! Este sim, tem alguns vídeos já lançados oficialmente. E pensar que esse show por pouco não aconteceu, já que foi gravado em 5 de Março de 2020!


My Dying Bride – “Macabre Cabaret (EP)

Gênero: Doom / Gothic Metal
País: 
Inglaterra
Selo:
Nuclear Blast Records

Clique e ouça “Macabre Cabaret” no Spotify.

Apesar de ser um EP, e de conter apenas 3 músicas, temos quase 22 minutos de puro doom metal carregadíssimo, cadenciado, lento, bem lento (e essa redundância toda traduz bem o EP). Se você não estiver com a cabeça em dia, pensando em todas as mazelas atuais de modo que isso esteja te afetando de alguma forma negativa, este trabalho vai te puxar e te deixar bem mal, tenho certeza disso.


Inquisition – “Black Mass For A Mass Grave”

Gênero: Black Metal
País: 
Colômbia
Selo:
Agonia Records

Clique e ouça “Black Mass For A Mass Grave” no Spotify.

Basicamente, este é um bom álbum até para quem torce o nariz para o black metal! A banda colombiana, formada em 1988, está melhor do que nunca, e esse certamente é o melhor e mais bem produzido álbum da carreira dos caras. Soa como um relançamento remasterizado de um black metal old school, tem riffs muito legais, e o mais marcante é a diversificação entre as faixas do álbum.


Hjelvik – “Welcome To Hel

Gênero: Heavy Metal / Death ‘N’ Roll
País: 
Noruega
Selo:
Nuclear Blast Records

Clique e ouça “Welcome To Hel” no Spotify.

É interessante pegar um bom álbum de uma banda que você não conhecia até então. Você tenta fazer referências à outras coisas e em um segundo momento vai atrás das informações. Neste trabalho do Hjelvik foi exatamente assim que eu fiz.

A banda poderia facilmente ser muitas coisas dentro do metal: o apelo visual é folk/pagan; o nome da banda é folk; os vocais voltam pro pagan; o nome do álbum e a origem poderiam indicar um black metal old school; mas o instrumental diz exatamente o que a banda é, o chamado death ‘n’ roll.

Outra coisa interessante é que se parece com outra banda que tem essa mesma pegada, o Kvelertak, e para minha grande surpresa, o ex-vocalista desta banda está aqui neste álbum! Explicada uma das semelhanças!


Killer Be Killed – “Reluctant Hero

Gênero: Thrash / Prog / Groove Metal
País: 
Vários
Selo:
Nuclear Blast Records

Clique e ouça “Reluctant Hero” no Spotify.

Cara, esse pra mim é o melhor lançamento entre os listados! Pra quem não conhece, KILLER BE KILLED tem um grande time de integrantes: Greg Puciato (ex-Dillinger Escape Plan), Max Cavalera (Soulfly), e Troy Sanders (Mastodon), e agora, Ben Koller (Converge) na bateria.

Este álbum soa como uma fusão perfeita entre Mastodon e Dillinger Escape Plan e Sepultura, principalmente pelo fato de Troy ser o vocalista. É como se a música “Milk Lizard” fosse tocada pelo Mastodon no álbum “Once More ‘Round The Sun” e com bastante groove do Sepultura.


Mais Lançamentos:

Æolian – The Negationist (Melodic death/folk metal)

Avandra – Skylighting (Progressive metal)

Communic – Hiding From The World (Progressive power metal)

Contrarian – Only Time Will Tell (Progressive death metal)

Liturgy – Origin Of The Alimonies (Experimental Black Metal)

Misty Grey – Chapter II (Doom)

Tombs – Under Sullen Skies (Season Of Mist) – Black metal

Weathered – Everything All At Once (Hard rock)

Rede Metal no Instagram: