Em uma recente entrevista conduzida pelo site Rock Vibrations, Christian Buchhaas, guitarrista e líder da banda brasileira Morpheus’ Dreams, revelou alguns detalhes sobre o que está por vir em relação aos futuros trabalhos com a banda.

A entrevista, que faz parte da sessão Discografia Comentada da Rock Vibrations, comenta sobre diversos assuntos, desde seu processo de composição, significado das músicas, pesquisa realizada para a criação dos conceitos que permeiam o álbum de estreia da banda (What Dreams May Come? De 2017), escolha de vozes, utilização das cores, apoio ao metal nacional, entre muitos outros.

Ao ser indagado a respeito do segundo álbum da Morpheus’ Dreams e sobre o que já poderia ser adiantado sobre a nova fase da banda que já está em processo de criação, Christian Buchhaas comenta:

“A ideia é ter um single abrindo esta nova fase, depois o álbum, dividido em mais de uma parte, pra poder valorizar o material, pra poder dar tempo às pessoas de conhecê-lo com calma. O álbum terá, a princípio, 12 músicas. Estou trabalhando em dois singles e mais sete das doze. Alguns instrumentos étnicos diferentes entrarão, outras culturas musicais serão abordadas, letras em mais de uma língua e também uma versão, assim como no primeiro álbum.”

Quando questionado sobre possíveis datas para que esses novos projetos vejam a luz do dia, o guitarrista fala:

“Quanto a datas…o plano original era lançar um single no final deste ano, mas devido a um outro plano (que também não está confirmado) não sei se será possível. PORÉM/TODAVIA/CONTUDO, caso não role este ano, primeiro semestre do ano que vem com certeza, e em paralelo a produção deste single a criação e produção do segundo álbum continuará a todo vapor.”

Para conferir a entrevista completa de Christian Buchhaas da banda Morpheus’ Dreams, clique aqui.

Confira também o review do álbum What Dreams May Come?, realizado pela Rock Vibrations, neste link.

Influenciado por sonhos, misticismo e também pelas histórias de Neil Gaiman, a banda Morpheus’ Dreams foi desenvolvida com a intenção de levar adiante uma proposta musical diferente: A fusão entre elementos étnicos e o Heavy Metal.

Letras e melodias são mixadas com a música e a língua de várias culturas ao redor do mundo, criando um ambiente onírico e denso.

Do Flamenco ao Tango, da música Brasileira à Árabe, de todas as culturas que abraçam o mundo, e que se entrelaçam com riffs de guitarra memoráveis e bateria rápida.

Essa é a Morpheus’ Dreams, pesada como Metal, e profunda como um sonho, lugar de onde o nome veio.

O álbum de estreia da Morpheus’ Dreams, o What Dreams May Come?, foi lançado em 2017. Produzido e mixado por Marco Nunes (Chaosfear) e conta com músicos renomados da cena, como Fernanda Hay (OverAlive), Alírio Netto (Shaman), Bruno Ladislau (Andre Matos), Juliana Rossi (Ravenland), Marcell Cardoso (Karma) e Dio Lima. A arte da capa é do ilustrador Carlos Fides, que já trabalhou com bandas como Evergrey, Noturnall e Edu Falaschi.

Ouça a banda Morpheus’ Dreams logo abaixo:

Aficionado pela vertente mais melódica do estilo, em especial o Power Metal. Começou a ouvir um som mais pesado no início dos anos 2000, e até hoje tem como hobby conhecer novas bandas que possam integrar sua lista de audição.