Por que o metal sueco é tão melódico? Essa é a pergunta feita no último episódio do especial, “50 Years of Heavy Metal”, produzido pela Loudwire.

Ajudando a responder a essa pergunta estão Anders Fridén e Björn Gelotte, do In Flames, Mikael Åkerfeldt, do Opeth, Trevor Strnad e Brandon Ellis, do The Black Dahlia Murder, e Travis Ryan, do Cattle Decapitation. Depois de explorar o momento do Big Bang, que explica em grande parte a prevalência de tanta melodia na cena metal da Suécia, é aprofundado o desenvolvimento de dois estilos opostos que se fundiram para criar death metal melódico – uma transição a partir desse momento de despertar ao lado de tendências emergentes no mundo.

Akerfeldt e os membros do In Flames lembram um concerto televisionado nacionalmente que mudou suas vidas, bem como a trajetória eventual da evolução do metal, para sempre. É uma visão reveladora de como algo tão simples quanto a melodia poderia definir o resultado de um estilo musical de um país inteiro.

Quando o death metal melódico começou a se espalhar pelo mundo, à medida que várias gravadoras se uniram àquela cena extrema do metal extremo nos redutos de Gotemburgo e Estocolmo, o impacto desses grupos locais se espalhou rapidamente em escala mundial. Sem ele, o metalcore como o conhecemos no século XXI simplesmente não existiria.

Assista ao episódio completo:

Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano esperando a volta segura de shows, fã de uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.