Se existe alguém que simplesmente não consegue para um minuto de produzir esse alguém é ninguém menos que o nosso compatriota e guitarrista Kiko Loureiro.

E o que mais impressiona é o nível de qualidade do projeto assinados pelo músico, seja com o Angra, com o Megadeth ou seus trabalhos solo, sendo “Open Scource” o mais novo petardo do guitarrista.

Lançado dia 10 deste mês o quinto disco de sua carreira solo, foi financiado em uma campanha de crowdfunding, onde além de adquirir o material em diferentes formatos (CD, download digital e LP), era possível até mesmo adquirir as guitarras utilizadas na gravação do álbum.

Como já era de se imaginar o disco totalmente instrumental e com uma pegada fortemente calcada no progressivo, é de uma versatilidade incrível, com harmonias sofisticadas misturando rock e música regional brasileira, bem característica da forma de composição do músico

Um detalhe interessantíssimo sobre o disco é que o título não só remete ao conceito de open source (expressão é usada para definir softwares onde a fonte original é disponibilizada de forma gratuita, podendo ser redistribuído e modificado), como além de estar vendendo as tablaturas de todas as músicas para serem tocadas na guitarra, Kiko vai liberar gratuitamente o material em pistas de gravação separadas para que outros músicos façam suas versões em cima do instrumental disponibilizado.

Simplesmente FE LO ME NAALLL!!!

Ao todo o disco contém 11 faixas e tem as participações de Felipe Andreoli no baixo, Bruno Valverde na bateria, da esposa do Kiko, Maria Ilmoniemi, nos teclados e dos guitarristas Marty Friedman (ex-Megadeth), em ‘Imminent Threat’, e Mateus Asato, em ‘Liquid Times’.