O vocalista Tim “Ripper” Owens revelou, em entrevista ao podcast Talking Metal transcrita pelo Blabbermouth, que representantes do Judas Priest pediram para que ele não usasse o nome da banda ou artes relacionadas ao seu período na formação ao divulgar seus shows solo. Ripper fez parte do grupo entre os anos de 1996 e 2003.

“Alguém soltou um pôster para uma de minhas turnês solo e usaram uma arte. Recebi um e-mail dizendo ‘não use o nome’, ‘tente não usar o nome do Judas Priest’. Fiquei chocado por eles não desejarem a arte deles por aí. Isso apenas ‘empurra’ o JUDAS PRIEST. Diferente da crença popular – e sei que eles não acreditam nisso -, mas alguns fãs realmente gostam daqueles álbuns e querem vê-los sendo tocados. Eles gostam daquelas artes”, afirmou Ripper.

Apesar de discordar da posição do JUDAS PRIEST, o vocalista destacou que não quer confusão. “Ouço tudo o que dizem para mim. Amo todos no JUDAS PRIEST, seja na banda ou no gerenciamento. Quando pedem para que eu faça algo, eu faço”, disse.

Ouça a entrevista na íntegra no link a seguir (em inglês).

https://art19.com/shows/talking-metal/episodes/3024cd9a-a5a9…

Recentemente, em outra entrevista, Ripper disse que gostaria de regravar seus álbuns com o JUDAS PRIEST para que esteja disponível ao público. Os discos que ele gravou com a banda, “Jugulator” e “Demolition”, não estão disponíveis nas plataformas de streaming e não são exatamente fáceis de se encontrar em mídia física.

Saiba mais sobre JUDAS PRIEST.

Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano esperando a volta segura de shows, fã de uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.