O baixista Steve Harris, do IRON MAIDEN, se recordou de suas origens ao ser entrevistado pelo Loudwire. Durante a conversa, que pode ser assistida no final da matéria, ele revelou por que escolheu o baixo como seu instrumento, especialmente considerando que ele sempre se mostrou mais fã das melodias do que dos grooves.

Harris comentou como ele se interessou por música. “Eu ia à casa de um amigo meu da escola para jogar xadrez. Ele colocava todas aquelas músicas para rolar de fundo. Tenho certeza que ele fazia aquilo tentando me desconcentrar do xadrez”, afirmou.

E ele adimitiu que isso o deixava sem foco no jogo. “Aquilo me tirava do jogo de xadrez porque eu tentava ouvir, pensando ‘oh, isso é interessante'”, disse.

No fim das contas, o músico pediu emprestado alguns dos discos que estavam rolando, de bandas como Black Sabbath, Wishbone Ash e Jethro Tull. “Foi aquilo que mudou a minha vida completamente”, disse Harris.

Antes disso o músico disse que já gostava de Beatles e Simon and Garfunkel por influência de seus pais.

Já a escolha pelo baixo não foi prioritária. De início, Steve Harris tentou ser baterista, mas não deu certo. Em vez disso, ele buscou trabalhar no outro instrumento da parte de ritmo. “Eu pensava: se não consigo tocar bateria, devo tocar junto com a bateria, em termos rítmicos. Queria fazer algo onde o baixo fosse além de apenas conectar todo o restante”, afirmou.

Antes de aprender o baixo, Steve Harris foi instruído a aprender como tocar violão, para se familiarizar com o uso da palheta. Porém, ele preferiu tocar com os dedos diretamente nas cordas, pois achou mais fácil. Foi aí que sua técnica peculiar de staccato no baixo começou a ser desenvolvida.

Então ele saiu e comprou uma Gibson Thunderbird – o mesmo baixo que seus ídolos usavam no Wishbone Ash, The Who e OVNI, apesar de seus estilos bastante variados, imaginando que ele também poderia obter sons únicos. “A pior coisa que já fiz”, riu Harris.

Entrevista na íntegra:

Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano esperando a volta segura de shows, fã de uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.