Fazendo um som cada vez mais coeso e criativo os ucranianos do Ignea chegam ao seu terceiro disco mostrando muito bom gosto e personalidade.

Cada vez mais conhecidos fora de seu país natal a banda, que anteriormente chamava-se Parallax, traz um som poderoso e um conceito incendiário em um disco que tem como conceito lírico…o fogo.

Piadas a parte o trabalho é basicamente dividido em três histórias ao longo de dez faixas excelentes, inflamáveis e muito bem elaboradas. A construção das letas lembra grandes obras épicas como Lusíadas, Odisséia e Ilíada.

A primeira parte do disco conta a história de uma rainha e seu reinado de terror crueldade e fogo. A segunda fala sobre um homem que enlouquece após a morte da amada, enquanto a última fala sobre divindades relacionadas…ao fogo (huahauahua)

O trabalho todo transborda criatividade e com diversas abordagens sobre o tema. E mesmo que o álbum seja bem coeso, gostei muito mais da terceira parte, pela sua riqueza de detalhes, principalmente pela nítida evolução da vocalista Helle Bogdanova.

É um espetáculo do início ao fim e com certeza vai deixar seus tímpanos em chamas (ok….chega de trocadilhos com fogo)