Em 23 de Outubro, o site de música Pitchfork publicou uma resenha contundente sobre o álbum de estréia de Greta Van Fleet, “Anthem of the Peaceful Army”, que na hora causou um alvoroço na comunidade do rock (pelo menos no Twitter).

Jeremy Larson, editor sênior do site que redigiu a crítica, chegou a descrever toda a segunda metade do disco alternando entre “o ignorável e o imperdoável”. Ele finalmente deu ao álbum uma nota de 1,6 de 10 possíveis. Leia um trecho da resenha logo abaixo.

[Greta Van Fleet] se preocupa tanto e é tão preciosa com seu fetichismo de bêbado meio bagunçado que encantou todos os impulsos de rock do final dos anos 60, em uma interminável tragada de 49 minutos. Cada música aqui poderia ser escrita ou tocada por qualquer uma das mil bandas de rock clássico que têm shows em bares, pubs e reuniões de motoqueiros em toda a América (os mesmos locais onde Greta Van Fleet dançou quando eram crianças).”

A resposta à crítica tem sido incomparável em termos de críticas de música rock em 2018. Muitas pessoas pesaram sobre a discussão que o Twitter deu seu próprio “Office Moment” logo na manhã seguinte.

Compreensivelmente, muitos fãs de rock não concordaram com a perceção do site para com a banda, considerada um dos atos mais relevantes da música rock atualmente. Leia algumas das respostas que repercutiram no twitter:

Saiba mais sobre GRETA VAN FLEET.