Ektomorf
Ektomorf: Szebasztián Simon, Dániel Szabó, Zoltán Farkas e Csaba Zahorán

O quarteto húngaro metal liderado pelo simpaticíssimo vocalista Zoltán Farkas explodiu no mundo em seu quinto trabalho de estúdio, o excelente “Destroy” de 2004, e caiu logo no gosto dos fãs daquele thrash metal cheio de peso e groove que surgiu com o Sepultura no disco Roots e foi mais explorado pro Max Cavalera em seu novo projeto Soulfly.

O timbre vocal de Farkas, muito semelhante ao do mineirin ajudou bastante a banda ganhar um legião de fãs aqui em Terras brasili, mas faz muito tempo que a banda adquiriu personalidade própria e sua longa discografia, que com “Reborn”, chega ao seu décimo quinto álbum de estúdio.

Apesar do novo material não trazer muitas supresas, sejam boas ou ruins, algumas novas facetes são apresentadas aos fãs, sendo possível notar influências de Metallica e Machine Head em faixas como “And The Dead Will Walk”, enquanto em “Smashing The Past” algumas passagens mais pesadas lembram “Fucking Hostile” do Pantera.

Já em faixas como “Fear Me”, “The Worst is Yet To Come” e “Forsaken” temos de volta o som agressivo e cheio de groove de disco como “Instinct”, “Redemption” e “Fury” e boa e velha pegada e os vocais guturais de Zoltán. VAle lembrar que a cozinha furiosa formada por Dániel Szabó e Csaba Zahorán não alivia em momento nenhum e forma uma passarela sólida para as guitarras de Zoltán e Simon desfilarem com ódio e precisão.

Não é um disco surpreendente e pouco acrescenta, mas mostra uma banda segura do que faz e não descepciona