Na ativa desde 2003 os hermanos do Draconis são hoje um dos grandes nomes do Death Metal na Argentina e em julho desta ano lançou o sexto trabalho de sua trajetória (que conta om 3 álbuns de estúdio e 2 EPs no currículo).

O quarteto formado pelos irmãos Gerardo (guitarra e voz) e Bruno Vargas (guitarra), Marcos Villaroel (baixo) e Cesar Roman (bateria) faz um som bastante diferenciado alternando entre levadas brutas e diretas com mais cadenciadas e melódicas.

O trabalho em geral soa bastante com bandas dos primórdios do death metal melódico como At The Gates e In Flames, mas infelizmente o trabalho peca um pouco na parte da produção que soa abafada, suja e confusa em certas partes

Em determinados pontos as guitarras parecem brigar entre si com saltos e quebradas rítmicas caóticas e galopes bem irregulares. E apesar dos diversos elementos presentes no som da banda, eles aparecem em quase todas as faixas o que torna a audição do disco um pouco massante.

Talvez a intensão da banda tenha realmente fazer algo caótico e sujo, mas ainda sim a produção poderia sido um pouco mais cuidadosa.