Em uma nova entrevista com Anne Erickson, da Audio Ink Radio, Schmier, vocalista do DESTRUCTION, foi convidado a opinar sobre o estado do heavy metal em 2020. Ele respondeu:

“Eu ouço todas essas entrevistas com pessoas dizendo que o heavy metal está morto e o rock está morto. Eu estou em cena há quase 40 anos, e na maioria das vezes, as pessoas falavam assim sobre a nossa música. Quando começamos a música, não havia cena, e a cena era muito pequena. Em alguns anos nos anos 80 o metal foi imenso por um tempo, mas eu não gostei muito disso, porque trouxe muitas pessoas para a cena que não pertenciam a ela. A cena morreu de novo, porque todos os descolados foram ouvir música grunge e techno. Eu acho que toda essa discussão que o heavy metal está meio que morrendo e o rock está morrendo, para mim, não é verdade. Eu vejo muitos fãs de heavy metal onde tocamos, tocamos em todo o mundo e hoje em dia é possível tocar em muitos países loucos onde você nunca conseguiria ir. Eu acho que o heavy metal não precisa ser uma coisa super moderna, e eu não quero que isso aconteça também. Eu acho que o metal deve ficar no underground, e a cena é saudável… acho que estamos em uma posição muito boa, na verdade. Eu acho que há 20 anos, parecia muito pior do que agora “.

Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano apreciador de shows, e uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.