Crypta: Tainá Bergamaschi, Fernanda Lira, Sonia Anubis e Luana Dametto

Enquanto o mundo entrava em uma terrível pandemia, o anúncio das saídas da baterista Luana Dametto e a da baixista e vocalista Fernanda Lira da banda Nervosa caiu como uma bomba no metal mundial fazendo com que o futuro delas se tornassem uma enorme incógnita.

Porém, em janeiro deste ano, a guitarrista Prika Amaral, lider e fundadora do Nervosa, juntou um timaço de musicistas e lançou o impecável “Perpetual Chaos”. Agora finalmente podemos conferir por completo o disco de estreia do Crypta.

Calcado em uma linha death metal clássica, direta e brutal o disco abre com a intro “Awakening” e logo depois “Starvation” quebrando tudo. Os vocais de Fernanda estão ainda mais precisos e com uma agressividade impressionante. O vigor e as dinâmicas quebradas da bateria de Luana comandam a pancadaria com precisão e violência. A evolução de ambas é notória em cada faixa.

“Possessed” tem uma pegada quase black metal com muitos blastbeats e belíssimas melodias com as guitarristas Sonia Anubis (ex-Burning Witches e Cobra Speel) e Tainá Bergamaschi (ex Hagbard), que sem dúvida acrescentaram em muito à banda.

Isso fica evidente nas faixas seguintes “Death Arcana” e “Shadow Within” onde o solo de intro da o tom para o resto da banda entrar descendo o sarrafo sem dó nos instrumentos. Nesta faixa Fernanda mostra mais uma vez sua evolução técnica, alterando entre fry rasgados e guturais bem cavernosos.

Em “Under the Black Wings” a banda dá uma pisada no freio e traz uma cadência muito bem vinda mas mantendo a coerência com as demais faixas com riffs e solos rápidos. Lembra um pouco alguns trabalhos do Obituary e do Six Feet Under, num death metal old school mas com uma pegada mais moderna.

Essa é alias a grande característica deste material. É brutal, pesado, agressivo mas ao mesmo tempo traz constância, solidez e a maturidade de quatro musicistas que, apesar de jovens, já tem uma enorme bagagem dentro e fora do país, tendo participado de importantes festivais.

É realmente inspirador ver surgir no cenário nacional trabalhos deste calibre e principalmente ver a mulherada ganhando cada vez mais espaço, única e exclusivamente por seu talento