Candlemass

Antes da lenda do doom metal sueco CANDLEMASS se apresentar no dia 7 de fevereiro em Paris, o vocalista Johan Längqvist conversou com a Duke TV. A conversa completa pode ser vista no vídeo abaixo. Seguem alguns trechos (transcritos por BLABBERMOUTH.NET).

Sobre a volta ao CANDLEMASS em 2018, 32 anos depois de estar no álbum de estréia “Epicus Doomicus Metallicus”:

Johan: “Quando eles me ligaram, disseram que queriam voltar ao ponto de partida, para obter uma nova inspiração, uma nova energia. [Eles disseram:]” Você gostaria de vir e ouvir o álbum? e, em seguida, se é bom para você e você pode fazer isso? A primeira vez que entrei no estúdio e dirigi este novo álbum, eu disse ‘Pô – deixe-me tentar’ imediatamente, e foi o que fizemos. Comecei a gravação quase imediatamente, porque as músicas realmente me prenderam. são ótimas músicas. “

Em suas contribuições para o novo álbum do grupo, “The Door To Doom”:

Johan: “Quando eu entrei, o álbum, a música e a letra, eles já estavam escritos. A única coisa que eu pude fazer quando cheguei foi colocar minha voz e meu som nela”.

No nível de compromisso que ele teve quando se juntou à banda:

Johan: “Eu disse: ‘Se eu for com vocês, estou colocando tudo de lado’, então não há mais nada para mim agora – é apenas o CANDLEMASS e nada mais.”

Em “Epicus Doomicus Metallicus”:

Johan: “Eu era tão jovem na primeira vez, mas acho que fizemos esse álbum muito rápido. Eu era jovem e estava pensando: ‘Uau, eu vou fazer um disco com os caras do CANDLEMASS.’ Naquela época, eu estava envolvido na minha própria banda, mas eles queriam que eu fizesse o álbum, e foi uma ótima coisa para um jovem cantor fazer.”

Sobre Tony Iommi, que contribuiu com um solo de guitarra convidado no novo álbum “Astorolus – The Great Octopus”:

Johan: “O BLACK SABBATH e especialmente as guitarras de Tony Iommi, elas são uma das razões pelas quais eu gosto de música. Eu as tenho profundamente em meu coração. Eles fizeram tantas músicas incríveis, e eu tenho certeza que eles vão durar para sempre Eles são uma das maiores bandas desse gênero que nós já tivemos, então sempre estarão conosco, mesmo que parem de sair em turnê.”

Sobre o futuro do CANDLEMASS:

Johan: “Enquanto estivermos nos divertindo e pensarmos: ‘Bem, nós amamos isso’ … Eu não posso te dizer ou dar uma promessa sobre isso, mas se eu me sentir bem sobre isso e eles também, haverá outro registro, mas não há nada no estágio de planejamento agora. “

O décimo segundo álbum de estúdio da CANDLEMASS, “The Door To Doom”, foi lançado em 22 de fevereiro pela Napalm Records. O disco, sem surpresa, segue a linha do compositor e baixista Leif Edling estabelecido no passado: épico, doom metal de classe mundial que depende de riffs lentos, pesados e cadenciados.

“The Door To Doom” é o primeiro álbum de estúdio do CANDLEMASS desde “Psalms For The Dead” de 2012, que contou com o vocalista Robert Lowe, que deixou a banda poucos dias antes de seu lançamento. Ele foi substituído por Mats Levén, que liderou a banda até que Längqvist se reuniu no final de 2018.

Längqvist cantou no álbum de estréia da CANDLEMASS, “Epicus Doomicus Metallicus”, de 1986, antes de sair do grupo e ser substituído por Messiah Marcolin.

Capa e faixas do álbum “The Door To Doom”:

The Door to Doom
1.Splendor Demon Majesty05:29
2.Under the Ocean06:13
3.Astorolus – The Great Octopus06:42
4.Bridge of the Blind03:44
5.Death’s Wheel06:51
6.Black Trinity06:05
7.House of Doom06:27
8.The Omega Circle07:17

Saiba mais sobre CANDLEMASS.

Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano esperando a volta segura de shows, fã de uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.