Mais de três anos após a votação inicial do Brexit do Reino Unido, o Reino Unido não faz mais parte da União Europeia. Com a saída da UE, as regras no Reino Unido começaram a mudar, e uma parte da mudança pós-Brexit pode potencialmente prejudicar as bandas em turnês internacionais.

Atualmente, músicos e equipes de países da União Europeia estão autorizados a viajar por todo o Reino Unido sem restrições, incluindo autorizações de trabalho ou vistos. No entanto, a partir de 2021, as equipes em turnê que viajam da UE para o Reino Unido serão forçados a solicitar um visto e pagar para tocar, confirmou o Ministério do Interior.

Os artistas também precisarão provar que têm cerca de £ 1.000 em economia 90 dias antes de solicitar um visto. O valor deve servir como prova de que o artista é capaz de se sustentar financeiramente.

“O acordo do Brexit cria barreiras para se apresentar na Europa e para artistas europeus se apresentarem no Reino Unido – barreiras que só poderão ser gerenciadas por artistas com um certo nível de sucesso”, disse Mark Davyd, CEO do UK Music Venue Trust NME. “Isso é basicamente um imposto para músicos novos e emergentes. Não é um imposto que terá impacto sobre seus James Blunts e Roger Daltreys. Alguém vai sentar em um escritório e preencher toda a papelada.

O líder do Gengahr (uma banda de rock inglesa), Felix Bushe, também falou à publicação, expressando preocupações de que os shows na União Européia em breve reflitam as dificuldades de ir para os Estados Unidos. “Qualquer banda que já assistiu a turnê nos Estados Unidos saberá que merda de show é essa”, diz Bushe. “É uma piada de merda. Não há relacionamento especial; um artista americano paga cerca de 120 libras para vir ao Reino Unido em busca de um visto, mas para uma banda do Reino Unido ir para os Estados Unidos, são cerca de 3.500 libras. Não estou dizendo que também será difícil em toda a Europa, mas se for semelhante, a maioria dos shows simplesmente não serão capazes de acontecer. “

Ele continua: “Se tudo der errado, será devastador para qualquer banda de nível médio. As novas bandas podem desistir agora, porque não poderão fazer uma turnê pela Europa. ”

Em resposta aos regulamentos futuros, a União dos Músicos iniciou uma petição para promulgar um novo passaporte que permitirá que shows e tripulação relacionada viajem livremente entre os países da UE. O passaporte dos músicos “duraria no mínimo dois anos, seria gratuito ou barato, cobriria todos os estados membros da UE, eliminaria a necessidade de cadernetas e outras permissões e cobriria a equipe na estrada, os técnicos e outros funcionários necessários para que os músicos fizessem seu trabalho.”

Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano esperando a volta segura de shows, fã de uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.