Dois anos após impecável “Avatar Country”, o quinteto de Gottemburgo, “Avatar” retornam ainda mais criativos e ousados com seu oitavo disco: “Hunter Gatherer”

Mais uma vez a banda usa e abusa da criatividade de seus músicos e seu leque de influências sonoras que passeiam entre death metal, indústrial, progressivo e estilos diversos para criar o que a banda chama de “Metal Circus”.

Ao contrário do álbum anterior, “Hunter Gatherer” não é um trabalho conceitual, porém todas as músicas giram em torno de um futuro distópico e devastado pela irresponsabilidade humana. Isso fica bem claro nas faixas de abertura, “Silence in the Age of Apes” e a pesada “Colossus”.

O álbum como um todo é bem coeso no que se refere a qualidade das composições e alternância de andamentos e ritmos criam uma sensação insana e caótica que casa perfeitamente na temática dos disco.

Outro detalhe que não pode passar batido é a notável evolução da banda como um todo, especialmente do vocalista Johannes Eckerström, especialmente nas linhas mais melódicas.

Rede Metal no Instagram: