Surgido “oficialmente” em 2014, o Armored Dawn chega ao seu terceiro disco com uma produção primorosa e muita criatividade. As guitarras de Tiago de Moura e Timo Karkosk estão ainda mais ferozes, os teclados de Rafael Agostinho além de afiados conduzem com maestria a banda que conta ainda com os veteranos Rodrigo Oliveira na bateria e a recente adição de Heros Trench no baixo.

As composições da banda estão mais coesas se comparadas com os álbuns anteriores, o mediano “Power of The Warrior” e o ótimo “Barbarians in Black”, musicas como “Blood no Blood”, “The Silence”, “Fire & Flames” além da faixa título, mostram porque a banda vem ganhando cada vez mais fãs.

E diga-se de passagem o fã-clube oficial da banda, o Sou Dragon Club, é um verdadeira horda viking extremamente ativa, não apenas nas redes como em atividades de assistência social e filantrópicas, que incluem de arrecadação de cestas básicas até atendimento médico. A própria banda reconhece a importância de seu séquito, tanto que a faixa de abertura do disco, “Ragnarok” é uma clara homenagem ao clube.

Deixei propositalmente para falar dos vocais do Eduardo Parras por último porque, a minha opinião, é um dos pontos de destaque deste disco. Se nos anteriores o mesmo teve uma atuação tímida, e até por vezes fraca, aqui o Dr. Parras finalmente soltou a voz com vontade e mostrou o vigor energia que sempre demonstrou nos palcos.

Diversão garantida para os fãs de bandas como Helloween, Sabaton, Powerwolf, Amon Amarth entre outras.