Alchemia: Wally D’Alessandro, Rodrigo Maciel, Victor Hugo Piiroja,  Alex Cristopher e Fifas

Formado em 2018, na capital paulista pelas mãos de Victor Hugo Piiroja (vocal), o Alchemia é o que se pode chamar de uma mistura duvidosa, porém incrível, de Judas Priest, Rob Zombie e Cradle of Filthy.

O som da banda cativa o ouvinte logo nos primeiros acordes da intro “Grind”, com um heavy metal bem tradicional com atmosferas góticas e uma sonoridade agressiva e moderna. Isso fica bem evidente na faixa “Ashes”. Quase um metalcore do capeta.

“Save US”, Sacrified” e “If Nothing is Sacred” temos riffs mais secosvariação de vocais limpos com guturais, groove nas melodias melancólicas, ritmo cadenciado do rock gótico oitentista e climas quase cinematográficos

O disco fecha com a excelente “Secret CAll” onde os tensos e belos arranjos sinfônicos e de sintetizadores, que são o diferencial da sonoridade do Alchemia, aparecem com mais destaque e fazem desta sem dúvida a faixa mais grandiosa do material.

Um ponto curioso é que ao avaliar as linhas de guitarra, baixo e bateria, a banda tem uma base bastante simples, quase previsíveis, mas quando soma-se os demais elementos, tornam a sonoridade da banda muito rica e refinada musicalmente.

Como um todo o álbum “Inception” é um trabalho extremamente equilibrado e possui uma excelente produção, que ficou a cargo de Piiroja em colaboração com Ricardo Campos (Sunset Midnight), que produziu os vocais. O compositor britânico Jon Phipps (Moonspell, Amorphis, Angra e Dragonforce) é o responsável pelas partes orquestradas.

O Alchemia conquista o ouvinte sem muito esforço e tem muito potencial para se tornar um nome forte na cena nacional de black death metal