Muitas das antigas tradições deste feriado são surpreendentemente metálicas. O bom velhinho como conhecemos, de bochechas rosadas e uma roupa vermelha para enfrentar as glaciais noites que não temos por aqui evocam uma alegria comovente durante a temporada de férias, mas o verdadeiro natal folclórico sempre esteve cheio de sangue, histórias sombrias e alguns demônios!

A maioria das pessoas diria que isso é um sacrilégio, mas, na realidade, as tradições natalinas demoníacas datam de milhares de anos. Então, quando você estiver com seus amigos e familiares e ouvir uma história de natal, se ela não tiver goblins, demônios e bêbados, provavelmente é apenas algo fabricado pela Coca-Cola.


Krampus

Krampus: quem é o Papai Noel do mal do folclore europeu?

A figura do folclore austríaco, Krampus, teve um aumento na popularidade nos últimos anos, visto que é saudada por entusiastas do terror em todos os lugares como um anti-Papai Noel com chifres gigantescos. Na tradição austríaca, as crianças travessas tem que lidar com algo muito pior do que um saco de carvão. Enquanto boas crianças seriam recompensadas com presentes de São Nick, suas contrapartes travessas seriam punidas ou arrebatadas por Krampus, uma criatura metade homem e metade cabra. Espancamentos físicos e viagens ao Inferno são frequentes, e cartões ilustrando essas cenas são trocados todos os anos.


Perchtenlauf, a parada austríaca dos espíritos do mal

File:Schiechperchten beim Pongauer Perchtenlauf 2017 in St. Johann. 11.jpg  - Wikimedia Commons

A Áustria parece um ótimo lugar para passar o Natal! Além de Krampus, as pessoas deste país também precisam tomar cuidado com perchten – asseclas de espíritos malignos de uma bruxa de inverno. É uma história que é o resultado de pessoas associando coisas terríveis com o inverno, como escuridão e morte. Todos os anos, no início de janeiro, os austríacos se vestem com fantasias estranhas e bestiais e tambores de metal durante a parada de Perchtenlauf ou Perchten.


Grýla, a Ogra de Dois Chifres

Grýla & Her Yule Lads | Mat Auryn

A Islândia tem uma versão feminina de Krampus: uma ogra da montanha de dois chifres chamada Grýla. Todos os anos, na época do Natal, Grýla ataca crianças malcomportadas, roubando-as e cozinhando-as em ensopado. Ainda hoje, as crianças islandesas aprendem essa história assustadora para assustá-las e torná-las boas. Também é relatado que ela também comeu o marido uma vez por tédio. Será que o Cannibal Corpse já fez algum álbum conceitual sobre ela?


Mistletoe (Visco) e sacrifício druída

Science Source - Druids, The Ritual of Oak and Mistletoe

Embora o visco fosse considerado uma grande dádiva para os druidas (celtas antigos de classe alta), isso não era para instigar sessões de pegação como é hoje. Eles consideraram o visco uma planta purificadora que livra as pessoas de doenças e espíritos malignos. Durante o inverno, eles cortavam o visco sagrado dos carvalhos usando foices douradas. Tudo parece adorável – até o ritual de sacrifício. Os druidas acreditavam que deviam prestar o devido tributo ao visco, oferecendo sangue. Alguns relatos detalham o sacrifício de animais, mas de acordo com a National Geographic, há evidências crescentes de que os druidas também se envolviam em sacrifícios humanos.


Wassailing

Wassailing traditions in the West Country - Wassailing Bristol

Hoje em dia, as canções de natal são reservadas principalmente para grupos religiosos e programas pós-escola, mas a tradição teve um começo um tanto nefasto – e simplesmente desleixado. Hordas de plebeus ingleses bêbados iam de casa em casa na tradição do Natal de Wassailing, importunando os vizinhos por comida e bebida a que normalmente não teriam direito. No espírito de doação do feriado, eles exigiram refrescos ao ponto de invasão e violência. Hoje, a cidade de Nova York tem algo semelhante chamado Santa-Con.


Consoada, a Ceia para os mortos

Natal - O que comiam os portugueses há 100 anos na noite de Consoada |  VIP.pt

Os portugueses fazem uma ceia de natal, na noite do dia 24 de dezembro, que recebe o nome de Consoada.

A tradição determina que, após a refeição, a mesa deve permanecer intacta durante a noite, em sinal de respeito aos membros da família que já faleceram.

Em algumas regiões do país, é costume deixar lugares vazios na mesa ‘reservados’ aos entes queridos que morreram recentemente.


Globins Kallikantzaroi

Kallikantzaroi - Christmas Goblins | From Tiny Pennies

Os gregos imaginavam que seus vilões de Natal eram duendes malvados que saem do chão todos os anos. Durante os 12 dias do Natal, eles causam travessuras e infortúnios pela casa. Era tradicional as pessoas manterem suas lareiras acesas a noite toda para que os Kalikantzaroi não pudessem entrar pela chaminé.


Père Fouettard, o Cannibal francês de Natal

Le Père Fouettard

Outro conto de Natal tradicional fala do Père Fouettard, ou “o pai chicoteador”. Era uma vez, um assustador francês chamado Père Fouettard sequestrou, massacrou e se preparou para comer três crianças perdidas. De acordo com a história, São Nicolau aparece na porta do homem. O Papai Noel traz as crianças de volta à vida e torna o canibal, também conhecido como Black Peter, seu servo contratado. Basicamente, seu trabalho é ameaçar as crianças para que sejam legais.


O Gato de Yule

The Legend of the Yule Cat at The Great Cat in History, Art, Literature

O Gato de Yule, ou Jólakötturinn islandês, é outro monstro que visita anualmente as portas das crianças no Natal. O gato monstro gigante comerá qualquer criança que não tenha recebido roupas de presente, pois uma criança só será recompensada com roupas se fizer todas as suas tarefas.


Mari Lwyd

Aventuras na História · Mari Lwyd: No País de Gales, o Natal é tétrico

Os galeses não ficam surpresos quando um cavalo esqueleto adornado com luzes e serpentinas aparece em sua porta. Ela representa Mari Lwyd, uma personagem do folclore que da mesma forma que a tradição Wassail, aparece na porta das casas todos os anos na época do Natal. Se não for recebida calorosamente, Mari Lwyd trará um ano de infortúnios. Os galeses representam essa cena quando vão cantarolar, carregando uma caveira de cavalo decorada.


Rede Metal no Instagram:

Fã de sludge/stoner/doom e bandas pontuais de várias outras vertentes. Paulistano esperando a volta segura de shows, fã de uma boa competição, seja ela qual for. Aqui na Rede Metal faz curadoria e publicação de conteúdo e toda parte administrativa e estratégica.